Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Na semana em que se comemora o Dia do Trabalho, o CREFITO-8 destaca a importância do TO em Saúde do Trabalho

Publicado: Sexta, 27 de Abril de 2018, 20h47 | Última atualização em Quarta, 23 de Maio de 2018, 18h37

 

1º DE MAIO

A qualidade de vida, o bem-estar e a melhoria da saúde do trabalhador influenciam todas as áreas do ambiente de trabalho, do profissional que atua na produção ao que trabalha na alta administração.
O trabalho está presente na vida humana desde os tempos primitivos. A evolução do homem trouxe também a evolução nas relações dos humanos com o trabalho que através dos séculos passou por muitas modificações. A globalização da economia, o desenvolvimento da tecnologia e o consequente aumento de lesões causadas em trabalhadores, exige dos profissionais da saúde e segurança do trabalho uma atuação mais contínua para adaptar às condições laborais adequadas. A produtividade da empresa depende das condições físicas e das relações interpessoais com o trabalho dos seus empregados.
No dia 1º de maio comemora-se o Dia do Trabalho e do Trabalhador, uma data escolhida em homenagem a uma greve geral que aconteceu no dia 1º de maio de 1886, em Chicago, no centro industrial dos Estados Unidos. No Brasil a data passou a ser comemorada a partir de 1925 quando então o Presidente Arthur Bernardes passou a reservar a data como feriado nacional.
É nesse contexto que o terapeuta ocupacional da especialidade em saúde coletiva atua com o Desempenho Ocupacional e Saúde do Trabalhador. O terapeuta ocupacional do trabalho utiliza os princípios da Política Nacional de Saúde do Trabalhador (PNST), fundamentados nos conhecimentos técnicos e científicos da Ergonomia, e a Classificação Internacional de Funcionalidade (CIF).

 

A Terapia Ocupacional do Trabalho


A Terapia Ocupacional do Trabalho surgiu pela necessidade do acompanhamento da saúde do trabalhador com base em algumas ciências como a ergonomia, ginástica laboral, prevenção da incapacidade temporária, permanente, progressiva, regressiva ou estável entre outras, com o objetivo de prevenir, resgatar e manter a saúde ocupacional. Multiprofissional e interdisciplinar, atua na reabilitação de queixas ou patologias musculoesqueléticas decorrentes do trabalho.

 

Linha do Tempo da Terapia Ocupacional do Trabalho
1879 - No início da industrialização no Brasil em decorrência do aumento de acidentes de trabalho, surge o prático em terapia ocupacional para dar assistência na recuperação de acidentados.

2002 – Portaria COFFITO nº 666, dispõe sobre assistência especializada por portadores de agravos à saúde determinados por sua atividade profissional, acidente e/ou doença relacionadas ao trabalho.
2010 – Resolução COFFITO nº 382, dispõe sobre elaboração e emissão pelo terapeuta ocupacional de atestados, pareceres e laudos periciais.
2015 – Resolução COFFITO nº459, dispõe sobre as competências do terapeuta ocupacional na saúde do trabalhador, atuando em programas de estratégias inclusivas, de prevenção, proteção e recuperação da saúde.

 

Os profissionais da terapia ocupacional do trabalho e seus objetivos

O terapeuta ocupacional do trabalho é um profissional da área da saúde, regulamentado pelo Decreto-Lei nº 938/69, que o poder público criou por meio da Lei nº 6.316/75, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – COFFITO, que tem a incumbência de exercer a função de normatizar o exercício da profissão. Assim o COFFITO editou Resoluções que estabelecem as competências e atribuições do terapeuta ocupacional, um profissional que busca prevenir, tratar, habilitar e reabilitar pessoas de qualquer idade que tenham seu desempenho ou sua convivência afetados por problemas sensoriais, motores, cognitivos, emocionais, afetivos e de inserção social, visando o aspecto biopsicossocial do indivíduo. Neste contexto o terapeuta ocupacional busca conhecer o mesmo no exercício de sua profissão, atividade humana/trabalho. Promove a saúde, no sentido de tornar o trabalho prazeroso para o trabalhador, mediante seu desempenho, tornando-o mais ativo no processo de compreensão

A Terapia Ocupacional do Trabalho tem como objetivo prevenir, avaliar e tratar os distúrbios ou lesões decorrentes das atividades no trabalho. Nas empresas, cabe aos terapeutas ocupacionais fazer uso da ginástica laboral, utilizando-se da ergonomia como treinamento ocupacional preventivo, para minimizar a consciência corporal, melhorar a autoestima, a autoimagem, a coordenação motora e o ritmo, com a finalidade de intervir nas habilidades ocupacionais, na memória, atenção, raciocínio e concentração. Além disso a atuação do terapeuta ocupacional do trabalho procura promover a vivencia do lazer, motivar para a rotina do trabalho, favorecer o relacionamento interpessoal e aumentar a capacidade produtiva de trabalho.

Os profissionais e estudantes precisam ter conhecimentos sobre a legislação brasileira, especificamente, a norma regulamentadora nº 17 (Ergonomia), conhecida como NR-17 do Ministério do Trabalho e Emprego.

 

NR-17
É a norma regulamentada pela Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978, que aprova as normas regulamentadoras do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, relativas à Segurança e Medicina do Trabalho. O objetivo da NR-17 (Ergonomia) é estabelecer os parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. Obrigatória para as empresas, a NR-17 tem a grande importância para identificar as maiores doenças de trabalho que são desenvolvidas a partir da exposição do risco ergonômico que muitos trabalhadores passam como os trabalhos realizados em pé durante a jornada, esforços repetitivos (DORT – Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), levantamento de cargas e monotonia. Além da saúde do trabalhador, o que deve estar consciente é que o desconforto do trabalho pode gerar também baixa produtividade para as empresas e o não cumprimento da norma não é vantajoso em nenhuma circunstância e cabível de multas.

 

A importância e os benefícios da Terapia Ocupacional do Trabalho para as empresas.

O terapeuta ocupacional promove ações profissionais ao alcance individual ou coletivo de promoção à saúde, prevenção da incapacidade temporário ou permanente, progressiva, regressiva, estável, intermitente ou contínua para o trabalho, de reabilitação no âmbito da Terapia Ocupacional e profissional na ocorrência de agravos, relacionados ao trabalho que afetam o desempenho laboral do trabalhador. A promoção de ações profissionais nos programas de educação permanente, de educação e saúde, por meio de ações informativas em saúde do trabalhador na perspectiva do direito à saúde e da participação social como instrumento da recuperação da saúde ocupacional.

 

O campo de trabalho da perícia para o terapeuta ocupacional do trabalho

O profissional da Perícia Judicial do Trabalho desenvolve atividades, por exemplo, junto à justiça do trabalho, cível, e outras varas, além de estar apto para trabalhar com DPVAT, INSS, exames cinesiológicos funcionais, entre outros.
Os terapeutas ocupacionais que fazem Perícia Judicial do Trabalho estão conquistando este mercado devido à quantidade de processos trabalhistas que envolvem funcionários com algum tipo de lesão e consequentemente a incapacidade funcional, sendo necessária a atuação do terapeuta ocupacional para elaborar e emitir parecer, atestado ou laudo judicial pericial, indicando o grau de capacidade e incapacidade temporária ou permanente, progressiva, regressiva ou estável, intermitente ou contínua, relacionado ao trabalho e seus efeitos no desempenho laboral, com vistas a apontar as habilidades e potencialidades dos indivíduos, promover mudanças ou adaptações nos postos de trabalho e assegurar um retorno ao trabalho de forma gradual e com suporte, de forma segura e sustentável em razão de demandas judiciais, readaptação no ambiente de trabalho, analise ergonômica do trabalho (AET), afastamento do ambiente de trabalho por doença ou acidente, instrução de pedido administrativo ou judicial de aposentadoria por invalidez, instrução de processos administrativos ou sindicâncias no setor público, prestar serviços de auditoria, consultoria e assessoria especializada e promover junto ao trabalhador as ações de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) por meio de atividades de lazer auto-expressivas, lúdicas, terapêuticas e de convivência, visando a prevenção e ou ocorrência de agravos.

 

Um mercado em expansão


O profissional que atua na Terapia Ocupacional do Trabalho deve estar constantemente aprimorando seus conhecimentos em, ergonomia, ginástica laboral legislação, entre outros, para ter maior qualificação e demonstrar por meio de dados, números e gráficos aos gestores das empresas, a comprovação das melhorias nos resultados do desempenho dos trabalhadores.
Obrigatório para todas as empresas informarem seus dados da saúde do trabalho, o eSocial , que é uma informação da saúde dos trabalhadores das empresas on line, vai revolucionar o setor. Trata-se do decreto nº8373/2014 que instituiu o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). Por meio deste sistema, os empregadores passarão a comunicar o governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicação de acidentes de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e FGTS. Na prática, a saúde do trabalhador estará sendo lida on line pelos órgãos do governo e as empresas terão que aprimorar seus mecanismos de trabalho para manter, prevenir e melhorar a saúde dos seus empregados.

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página